UNIÃO PELA

PRESERVAÇÃO

A Campanha Berçário Livre! foi criada em 2015 pela ACAPRA, e neste ano de 2018 se tornou um movimento em defesa e proteção do Berçário. Pessoas se uniram e, de forma voluntária, estão monitoramento as enseadas e observando por terra as baleias, divulgando o berçário e encaminhando requerimentos para o Governo Federal requerendo uma gestão eficiente para garantir mais qualidade de vida para os animais.

Ações já realizadas pela Campanha Berçário Livre!

Documentos

Clique na imagem ao lado e conheça a petição de Amicus Curiae que a ACAPRA apresentou no Tribunal Regional Federal 4ª Região, em 12/08/2016, em defesa do Berçário, 

Clique na imagem abaixo e conheça o abaixo assinado enviado para a Justiça Federal antes do julgamento que decidiu pela suspensão do TOBE (turismo de observação de baleias embarcado)

Clique na imagem ao lado e conheça a denúncia que a ACAPRA protocolou na 66ª Reunião da Comissão Internacional Baleeira (2016), em parceria com o Sea Shepherd, na Eslovênia. No documento foi requerida a proteção integral do Berçário em Santa Catarina. 

Abaixo-assinado

Clique ao lado e conheça o documento enviado para órgãos requerendo a proteção do Berçário, 2018.

Requerimento_Proteção_Berçário_Baleia_Fr
Eventos

Em 10 de setembro de 2015 aconteceu o  seminário Baleias Franca em Perigo de Extinção, organizado pelo  Coletivo SOS Baleia Franca em parceria com o Núcleo de Pesquisa Observatório de Justiça Ecológica, do PPGD da Universidade Federal de Santa Catarina. No evento foram apresentadas as fontes de molestamento ao berçário e as várias mortes ocorridas na mesma temporada. Além de informar a sociedade, o Coletivo SOS Baleia Franca também buscou apoio para a ação direta "Panela de Pressão" na qual foi requerida explicações e soluções da chefia da APA da Baleia Franca sobre a situação precária de fiscalização da região. 

Amicus Curiae

Em 26 de junho de 2016 aconteceu o I Ciclo de Debates sobre a Área de Proteção Ambiental da Baleia Franca, na Universidade Federal de Santa Catarina, com a participação de biólogos e estudiosos dos direitos animais.  

1/7

Devemos mudar esta realidade, e valorizar o Berçário tratando-o com o cuidado e zelo que este espaço merece! O caso relatado abaixo foi desolador...

Da luta pelo fim do turismo de observação de baleias embarcado no Berçário nasceu a Campanha Berçário Livre! 

Este turismo acontecia há mais de uma década sem regras específicas, após a ação judicial ficou provado que nem as regras gerais eram cumpridas!

A vitória da sociedade civil, que desde 2013 impede que esta atividade aconteça no berçário por meio de ação judicial, comprova que é possível mudar uma realidade de anos e proteger as baleias.

Durante estes cinco anos, a região despertou para o que vinha acontecendo no Berçário, e a necessária mudança  de foco para avançarmos na proteção integral deste espaço.

A região do Berçário deve ser preservada por meio de ações debatidas com a comunidade, não apenas com o Conselho da APA da Baleia Franca. A mudança no berçário está sendo percebida por muitas pessoas, precisamos investigar, avaliar o que fazer para remediar o declínio de um dos mais importantes berçário de baleia franca do Brasil, já que em São Paulo e Rio de Janeiro elas não visitam mais as enseadas.

A Campanha Berçário Livre! está crescendo pela adesão de mais ongs e simpatizantes da causa, acompanhe as ações, participe, compartilhe!

Baleia Franca que encalhou com o seu filhote em uma das lagoas de Laguna - Berçário, em setembro de 2013. A baleia ficou 24 horas aguardando o "protocolo de desencalhe do ICMBio" que não providenciou nem a hidratação do animal. O sol provocou queimaduras severas em seu corpo. Os moradores e o biólogo Luiz Augusto foram ameaçados de prisão caso chegassem perto para hidratar o animal (jogar água em seu corpo para não queimar ao sol).

Sem planejamento, o filhote foi "empurrado" para alto mar por jet skis, e mesmo assim retornou para perto da mãe. Contudo, foi novamente retirado de perto dela, e se perdeu no mar. A baleia mãe foi desencalhada no final do segundo dia, levada por rebocadores, ainda bateu e se prendeu nas cordas de um iate. Quando, finalmente, chegou ao mar, estava exausta, queimada e sem o seu filhote. Não foi monitorada e o ICMBio não sabe o que aconteceu. Dias depois um filhote de Franca apareceu morto no Berçário.

Fauna marinha morta - Berçário da Baleia Franca em SC
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now